As minhas plantas não estão saudáveis!! (Parte 1)

 O que está a a acontecer?

Fiz tudo como recomendado ou como me ensinaram. Acordei cedo e estive lá sempre que era necessário. Investi em máquinas e ferramentas e  num bom sistema de rega. Apliquei o meu próprio composto. Comprei sementes caríssimas e de qualidade. Só faço tratamentos com produtos biológicos.

A grande questão é: de onde provém as doenças, as pragas e os problemas de desenvolvimento das culturas?

O melhor é procurar a resposta no ambiente em que se insere as nossas culturas, nas plantas e  também na nutrição das plantas. Poderá ser suficiente evitar, corrigir ou contornar de forma imediata uma determinada condição ambiental menos favorável ao crescimento e desenvolvimento das nossas culturas agrícolas.

Condições ambientais
  • Que solo tenho? Tem uma boa estrutura? Apresenta-se  demasiado solto e com pouca retenção da água, ou é muito compacto e duro? É um solo vivo ou pobre em vida e em nutrientes? É preciso conhecer o solo e  saber se as suas culturas se adaptam ao tipo de solo. Além de aprender a observar e a conhecer o seu solo, faça também análises de terra. Sugere-se a leitura da apresentação 2021/07/05 Diagnóstico da fertilidade do solo na produção biológica da Madeira – PROBIOMADEIRA
  • Estou a semear, transplantar, plantar nas alturas certas? Sim, é verdade que no supermercado já encontra algumas frutas e legumes o ano todo ou pelo menos durante um período mais alargado. Relativamente a uns anos atrás as técnicas de conservação e transporte de alimentos melhoraram e também é verdade que há variedades que  podem ser utilizadas num calendário mais alargado. Sim calendário, as culturas e as suas respetivas cultivares ou variedades, têm um período e formas certas para serem instaladas.  Apesar das alterações climáticas, tente respeitar o calendário de plantação indicado para a sua zona. Informe-se com o seu técnico agrícola local.
  • Associações de plantas inadequadas: Consociar culturas, associar culturas entre si não é “tudo ao molhe e fé em Deus”. É preciso conhecer as culturas, nomeadamente as suas famílias. Aqui a regra geral é não  juntar espécies diferentes da mesma família de plantas. Normalmente estas são procuradas pelos mesmos agentes patogénicos, que causam pragas ou doenças semelhantes. O melhor é uma espécie da mesma família de cada vez e associadas a outras culturas de famílias diferentes. Na internet e em bons livros de agricultura biológica, encontra tabelas de consociações de culturas e as vantagens de algumas associações em particular. Procure por associações de plantas que oferecem vantagens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

PortugueseSpanishEnglish

Menu Principal